Home » Ad Tech » 50 Tons de retargeting
50 Tons de retargeting

50 Tons de retargeting

Retargeting. Com certeza você já ouviu falar e já presenciou seu uso, mesmo que não saiba disso. O retargeting tornou-se um termo comum no meio do marketing digital e é muito usado principalmente pelos principais anunciantes varejistas do país como Dafiti, Netshoes, Casas Bahia, Magazineluiza, Americanas, entre alguns outros. Escrevemos há um tempo atrás o texto: “O lado negro do Retargeting” que levanta os pontos do retargeting quando utilizado de maneira incorreta.

Vamos reunir aqui neste post quais são as opções de retargeting disponíveis e como elas funcionam de fato. O não entendimento da tecnologia e de seus possíveis caminhos são, na maioria das vezes, o responsável pelo fracasso das campanhas que utilizam a tecnologia. A Chango fez um infográfico que ajuda a entendermos um pouco mais das opções e funcionamentos do retargeting:

7 tipos de retargeting

A imagem acima é auto-explicativa, mas vamos passar um pouco sobre cada passo do retargeting para tentar deixar tudo mais claro e fazer com que todos saibam a “mágica” que acontece por de trás das publicidades altamente segmentadas para você, usuário.

O Retargeting está dividido em 2 etapas principais: Intenção e Ação.

A primeira funciona como uma ferramenta de prospecção de possíveis alvos, que alimenta seu funil de conversão. A segunda serve para que algo seja entregue para este possível alvo futuramente.

Lembre-se que uma boa campanha de retargeting sempre combina diferentes tipos de tecnologia (métodos de intenção e ação).

1. Search Retargeting

Qualquer pessoa que trabalhar com SEM (Search Engine Marketing) vai falar para você que o search é o maior e melhor canal para se obter informações de intenção de compra. O que faz todo o sentido uma vez que o usuário está escrevendo exatamente o que ele quer. É como se ele estivesse levantando a mão e dizendo qual é sua intenção naquele momento. O SEM funciona tão bem que é complicado de orçar os budgets para as campanhas e acompanhar de fato quais são os melhores KPI’s para se analisar.

O Search está totalmente relacionado a Performance. Ele surgiu para trazer eficiência para o mercado display. O Search Retargeting encontra aquelas pessoas que não entraram no seu site, mas que procuraram por algum termo relacionado à sua empresa no Google, Yahoo! ou Bing. Isso é extremamente importante para você trazer novos usuários para o seu site: Usuários que já demostraram interesse em algum produto e/ou assunto que se relaciona com seu site mas que ainda não entraram de fato na página.

 

 2. Site Retargeting

Pense neste retargeting como um passo mais próximo do seu potencial usuário. Até porque o usuário buscou por alguma coisa que levou ele até sua página. Com isso você pode acompanhar este usuário durante toda a navegação dele no seu site.

O ponto mais importante é decidir quando usar o retargeting e qual o seu objetivo. Ex: Um site transacional provavelmente gostará de saber quando o usuário abandonar um carrinho de compras e quais os produtos que ele visitou e/ou tem interesse, para assim poder impactar este usuário mais para frente com publicidades, promoções especiais ou o com o famoso e-mail marketing.

 

3. SEO/SEM

SEO/SEM são artificios da página, então estão muito próximos ao retargeting do site e dos termos que foram utilizados no Search para trazer o usuário para dentro do site. Personalizar sua página, conteúdo ou publicidade analisando os termos procurados nos buscadores é um, dos muitos jeitos de retargeting.

 

4. E-Mail

Auto-explicativo suficiente, o retargeting por e-mail te dá a possibilidade de pegar todas as informações colhidas anteriormente e oferecer uma oferta, mensagem personalizada e/ou uma promoção por e-mail.

Faça o teste! Entre no Fast Shop, Walmart ou qualquer outro site que tiver cadastro e deixe um produto no seu carrinho. Em questão de horas você receberá um e-mail pedindo para que você volte e talvez te ofereça até uma promoção legal do produto que você deixou lá.

 

5. Contextual

Talvez o que cause mais espanto nas pessoas que não conhecem a tecnologia. O retargeting contextual é a troca de informações entre sites sobre um usário que está procurando algo nos buscadores que tenha a ver com estes sites.

Por exemplo, imagine um site de uma cia aérea e de um hotel trocando informações sobre reserva de passagens ou reservas do hotel para  atingir um usuário que procurou por termos semelhantes aos dos tipos de site.

 

5. Engagement

 Provavelmente o tipo de retargeting menos utilizado mas ao mesmo tempo extremamente potente. Retargeting por engajamento é visto nos games das redes sociais, em peças Rich Media e em vídeos basicamente. Como são materiais onde o usuário provavelmente estará engajado de verdade é possível entregar conteúdo personalizado de acordo com a ação de engajamento que o usuário tiver.

 

Resumindo, o fato é que existem diversos tipos de retargeting hoje, o que ajuda e facilita a vida do anunciante, que agora tem mais meios e mais chances de alcançar a sua audiência. Quando usado corretamente, com criativos eficientes, o que vemos é um grande crescimento do CTR/Conversões das campanhas que utilizam destes modelos de retargeting.

Provavelmente o banner ai do lado está te mostrando alguma coisa que você visitou nos últimos dias, não?

About Luis Felipe Grassitelli

Trabalhando com as plataformas de monetização do Google para os maiores veículos digitais da América Latina. Passou pela área de mídias digitais e plataformas na Rede Globo e foi coordenador de produtos de Ad Tech e especialista de mercado na Predicta.É Co-Fundador do Digitalking e louco por natureza. Empreendedor que joga poker, anda de skate, escreve, joga bola, lê e escuta muita música.

Leave a Reply